RPG no universo de Guilenor
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Novo Tópico   Responder ao tópicoCompartilhe | 
 

 A Paz se faz com Guerra - Morte ao Caos

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Mateus
Sua Excelência
Sua Excelência
avatar

Mensagens : 1210
Data de inscrição : 22/05/2015
Idade : 19

Ficha do personagem
Pontos Infracionários:
0/100  (0/100)

MensagemAssunto: A Paz se faz com Guerra - Morte ao Caos   Ter Jun 28, 2016 10:26 pm

Em Entrana, uma reunião entre o Sumo-Sacerdote Friedrich von Hansen e os três Grão-Mestres das sagradas ordens saradoministas é interrompida de súbito por um enviado do Conselho de Faladore. Uma reunião secreta, envolvendo as maiores lideranças saradoministas de todo o mundo decretara o estado de emergência pelo qual passava a fé e o risco que representavam os avanços do paganismo, da subversão e dos conflitos armados que se alastravam conforme a hegemonia saradominista diminua e a pressão feita pela igreja se afrouxava.
Nessas condições, foi unânime a decisão de declarar a necessidade da reformulação de um braço armado da Igreja, capaz de defender a fé saradominista acima de qualquer lei real ou liderança regional. 
O Sumo-Sacerdote, incumbido pela sabedoria de Saradomin, declarou o Lorde Richelieu Gilrain de Maer como representante dessa nova organização, prometendo-lhe a posição de Grão-Mestre no caso de esforços bem-sucedidos, embora tenha sido deixado claro pelo mesmo que suas aspirações eram muito mais espirituais do que bélicas e seu verdadeiro desejo era a posição de cardeal.
Para a ordem, foram escolhidas as ilhas de Santa Elspeth, antigas bases marítimas e militares que ainda eram propriedade da Igreja de Entrana. Por esse motivo, a ordem recebera o nome das ilhas e uma contribuição inicial de 200.000 moedas de ouro para a reforma do local, contratação de homens, construção de navios e equipamentos, além de outras necessidades declaradas por Richelieu.
Tendo os requisitos da Carta da Fé atendidos, o lorde seguia então novamente para Asgarnia, para organizar seus contatos e iniciar as atividades da Ordem. Como símbolo de sua missão, recebera do Sumo-Sacerdote um de seus adornos pessoais com inscrições sagradas que somente ele poderia possuir e que eram impossíveis de falsificar, sendo reconhecidas por qualquer clérigo ao redor do mundo.
Era o primeiro passo para a construção de uma nova era no Mundo Saradominista.


_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mateus
Sua Excelência
Sua Excelência
avatar

Mensagens : 1210
Data de inscrição : 22/05/2015
Idade : 19

Ficha do personagem
Pontos Infracionários:
0/100  (0/100)

MensagemAssunto: Re: A Paz se faz com Guerra - Morte ao Caos   Sex Jul 01, 2016 9:45 pm

Alguns dias após a fundação da Ordem, Richelieu segue em viagem oficial com uma comitiva de nobres das Ilhas para Kandarin. A visita, previamente agendada por carta, era bem recebida em Ardonha tanto pelo povo quanto pela baixa nobreza que estava presente, já que a alta nobreza se encontrava envolvida com as obrigações da guerra.
Os nobres fiéis à Ordem logo se integravam em boas conversas com os do reino, chegando em torno de uma hora depois o próprio Bispo para uma conversa com Louis, o regente. 
Se afastando do salão principal, os dois caminham pelos corredores e pátios do castelo numa conversa em relação às atividades de Richelieu no reino. No fim da mesma, decide-se que ele atuaria no combate aos nobres ainda claramente duvidosos, na anexação ou dissolução das estruturas terrancistas ainda existentes e encontraria um meio de desarticular qualquer resistência da burguesia ainda durante o período da guerra, durante o qual as atividades de conspiração teriam de ficar interrompidas pelo bem maior. 
Depois disso, Richelieu retornava a Bruxedos, onde efetua uma reunião com o Lorde Laennish em busca do paradeiro de seu filho caçula. A conversa se passaria inicialmente ríspida mas logo adotaria um tom amigável graças ao espírito negociador do Bispo. Terminado o encontro, Richelieu envia um mensageiro em busca de Hux.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Mateus
Sua Excelência
Sua Excelência
avatar

Mensagens : 1210
Data de inscrição : 22/05/2015
Idade : 19

Ficha do personagem
Pontos Infracionários:
0/100  (0/100)

MensagemAssunto: Re: A Paz se faz com Guerra - Morte ao Caos   Ter Set 20, 2016 7:35 pm

Passado


- Richelieu Gilrain, em seu primeiro passo, fecha alianças em Kandarin e com os perseguidos políticos do regime atual, ex-apoiadores do Chanceler Terrance;
- O Grão-Mestre passa a ter uma atitude amistosa em relação às civilizações não-saradoministas;
- Consolidando suas alianças com as demais civilizações continentais, ele adquire algumas terras cultiváveis nos três reinos saradoministas;
- Com o fechamento do cerco aos que ainda poderiam ser considerados subversivos em Kandarin, Richelieu oferece asilo aos perseguidos, pedindo para isso e recebendo a benção do Sumo-Sacerdote, pois os líderes entre eles haviam ido a Entrana e se convertido genuinamente ao saradominismo, pedindo perdão por seus pecados e solicitando que pudessem se redimir servindo a uma ordem sagrada. A permissão da rainha era solicitada e, embora a proteção se efetivasse e Richelieu livrasse Kandarin de um problema político grave e uma possível guerra civil ao incorporar as antigas estruturas do Chanceler e convertê-las à religião sagrada, havia um gosto amargo naquela vitória para os mais fervorosos monarquistas;
- Em Asgarnia, a Ordem de Santa Elspeth adquire mais terras em seguida, o suficiente para que, com a benção do Rei Anlaf, pudessem construir um forte virado para o mar na região mais selvagem do sul, onde o último anão Imcando vivia;
- Em Misthalin, os conflitos com os poderes mandantes impediam grande expansão do ideal da ordem. Haviam terras limítrofes entre Asgarnia e Misthalin, cultiváveis, nas mãos da ordem, mas isso era tudo. Alguns conflitos contra o paganismo que se infiltrava era possível de se observar nas regiões dominadas pela mesmo;
- Fazendo um papel mais motivacional e intelectual ao recrutar filhos de nobres e ter o restante da infantaria composta mais por fanáticos do antigo regime de Kandarin, Richelieu observa grandes oportunidades em mudar o foco militar da ordem, passando-o ao naval. Após construir uma frota, ele declara guerra contra todos os piratas e passa a fazer a defesa marítima dos reinos saradoministas possivelmente ameaçados pelos mesmos. Seu empreendimento maior era a conquista de Mos'ino Fensivo.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: A Paz se faz com Guerra - Morte ao Caos   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
A Paz se faz com Guerra - Morte ao Caos
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Comentários]Torneio de Fotos Especial de Aniversário Guerra Galatica - Hyoga vs Ichi
» [Resultado]Torneio de Fotos Especial de Aniversário Guerra Galatica - Seiya Vs Geki
» [Resultado]Torneio de Fotos Especial de Aniversário Guerra Galatica - Hyoga Vs Ichi
» [Comentários]Torneio de Fotos Especial de Aniversário Guerra Galatica - Ikki Vs Nachi
» [Resultado]Torneio de Fotos Especial de Aniversário Guerra Galatica - Ban Vs Jabu

Permissão deste fórum:Você pode responder aos tópicos neste fórum
Reinos de Guilenor :: Saga 1 - Guilenor :: Interpretações-
Novo Tópico   Responder ao tópicoIr para: