RPG no universo de Guilenor
 
InícioInício  CalendárioCalendário  FAQFAQ  BuscarBuscar  MembrosMembros  GruposGrupos  Registrar-seRegistrar-se  Conectar-seConectar-se  

Compartilhe | 
 

 Fênix Escarlate

Ir em baixo 
AutorMensagem
Jonas
Nobre
Nobre
avatar

Mensagens : 164
Data de inscrição : 26/11/2016
Idade : 16
Localização : São Paulo

Ficha do personagem
Pontos Infracionários:
100/100  (100/100)

MensagemAssunto: Fênix Escarlate    Seg Nov 27, 2017 9:59 am

Após à conversa com Karsten, Takeda ficaria pensando no espírito Shingen. Ele sempre ficava observando à lâmina de Hõ, e começava a sentir um sentimento de culpa; até que ele teve uma ideia. Chegada a noite, uma chuvosa, ele iria meditar, colocando Hõ entre os seus joelhos. Após alguns minutos de concentração, ele entraria num estado de transe.

Ele acordaria em Aminishi, nos bosques de Shiroyama, mas algo estaria errado. Todo ambiente se parecia morto e corrompido. Conforme Takeda andasse pelo bosque, ele veria muitas e muitas visões perturbadoras, desde um gigantesco lobo negro sobre um branco, o qual estaria se afogando no próprio sangue; ele veria um abutre empalado contra uma árvore na entrada do castelo, e um falcão morto, no chão, do qual uma estranha energia negra sairia. Além disso, podia se ver estaca saindo do fosso do palácio, tudo enquanto uma águia rondava. Takeda encararia a águia e logo em seguida entraria no palácio.
Ao entrar no palácio, ele se depararia com uma visão horrível: Todos os seus filhos estariam espalhados pelo salão principal, esparramados e cobertos no próprio sangue. Quando ele desse por si, perceberia, ele perceberia que sua katana, mãos e pernas estavam cobertos de sangue; tudo isso com à águia acompanhando. Takeda jogaria sua katana no chão e tentaria se limpar do sangue, porém, o mesmo já estaria impregnado em suas roupas. Até mesmo aquilo ele reconheceria. Era o seu próprio sangue e de seus filhos mais jovens... Então, ele escutaria algo batendo em uma porta no andar de cima. Os nervos começariam o afetar, mas ele se recuperaria e iria verificar o que estava causando tanto barulho.
Ao subir, ele notaria que seria uma porta trancada, que balançaria com batidas fortes. Takeda pegaria impulso e arrombaria a porta.

Quando à porta caísse no chão, ele poderia ver outra visão horrível: Sua irmã, Aiko, extremamente ferida, ensanguentada. Takeda correria em direção de sua irmã e ajoelharia do seu lado. A águia pousaria logo atrás de Takeda... No fundo da sala, que seria um quarto, ele poderia ver um vulto negro observando a janela. O vulto voltaria sua atenção a Takeda e o culparia por tudo aquilo, dizendo que foi ele que matou seus filhos e que sua vingança não traria nada além de desgraça. Ele também culparia Takeda pela morte de Ruri e Kiko. Após o culpa, a criatura diria o que ela seria... e ela seria Takeda; a parte negra de Takeda; o acúmulo de traição, abandono e vingança dentro de Takeda.
"Traição!", disse o ser. Um pavão esquelético cairia morto entre os dois, ao lado de um falcão e um abutre. Takeda olharia novamente para Aiko, pela janela, para a estaca no fosso, e lembraria de seus filhos, e mais um falcão, outro falcão, abutre e um lobo, todos caindo entre eles. Takeda se irritaria e começaria desferir ataques no ser, no quais os mesmo não surtiram efeito, atravessando o vulto. As katanas de Takeda seriam arrancadas por alguma força sombria, e colocadas à frente de ambos. Ele notaria que a lâmina vermelha de Hõ começava a lentamente escurecer, enquanto Hikari perdia seu brilho e sua luz. Enquanto as katanas eram consumidas, Takeda poderia ouvir um grunhido horrendo de uma ave atrás.
Uma força sombria faria Takeda ajoelhar no chão e fazerem seus olhos lacrimejarem. O vulto afirmaria que não existiria nenhuma fonte de luz no coração de Takeda e que se ele aceitasse as trevas, Takeda teria tudo o que sempre quis... Poder. O vulto estalaria os dedos, e uma chuva de pássaros mortos e penas. Ele poderia contar, exatamente noventa e oito deles. O ser continuaria seu discurso, e à cada palavra, sua voz ficaria mais distorcida e à energia sombria aumentaria. Uma explosão de sombras lançaria Takeda contra a porta, enquanto o vulto avança contra ele. Até que, subitamente....

... Um abutre entraria voando na sala, se transformando subitamente em um enorme homem em armadura azul, em uma carga de ombro contra a entidade. Takeda podia notar quem seria ele, Shiro. O samurai desferiria um ataque contra o falso Takeda, lançando-o contra a janela. Conforme o vulto seria lançado pela janela, um lobo voaria contra a mesma, prendendo o Takeda negro contra o chão e o mordendo. O lobo assumiria uma forma humana. A forma de alguém que Takeda não via há muitos, muitos anos... Tsukikage Tsubaru.
O falso Takeda começaria a se levantar com dificuldades e se perguntando o por que daqueles espíritos estarem ali. A águia entraria pela porta, voando. A mesma se transformaria, então, no próprio Izanagi, patriarca dos Shingen. Ele faria um movimento com a mão, na qual faria um selo se  formar em volta do Takeda negro, que começaria a assumir uma forma bizarra, puramente sombria, até se transformar em pó.
"Isso não vai acabar hoje! NOS VEREMOS NOVAMENTE QUANDO ELA SE FOR!"... Foram as últimas palavras do falso Takeda.



Takeda ficaria perplexo com o que acabava de acontecer ali. De seus olhos, escorriam lágrimas.
As katanas que estavam sendo consumidas, cairiam no chão, e a escuridão que estava as consumindo seria expurgada. Shiro apenas observaria, conforme Izanagi faria um sinal para Tsubaru.
"A partir de hoje, dois de nós observaremos suas ações. Acreditamos que seu caminho será frutífero, e próspero. No entanto, caso desobedeça seu juramento, nós mesmos o destruiremos". Disse Izanagi.
Ambas katanas se despedaçariam.
"Shiro disse muitas verdades. No entanto, houve o descuido de não contar uma delas. Tal qual meu irmão, também entitulado Izanagi, esse não foi meu nome de nascença. Conforme as gerações se passaram, fomos tomados pelo orgulho do nome do patriarca de nossa única casa, Izanagi. Como resultado, ocorreu a cisão e, por nosso orgulho, tomamos para nós o nome de nosso criador. Por favor, eu não sou digno desse nome. Chame-me apenas de... Shingen."
Os estilhaços das katanas se uniriam magicamente, brilhando e tomando uma nova forma e cor. Tsubaru canalizaria algo junto de Izanagi, e logo após, ambos seriam sugados para dentro da única katana. Conforme Takeda pegasse a mesma, ele sentiria poder fluindo em suas veias. Ele leria sua inscrição... "A Noite Mais Clara".



Em seguida, ele despertaria de seu transe, e notaria que não seria uma katana, e sim, uma odachi, e que a mesma repousaria em seus joelhos. Takeda levantaria e testaria o corte da odachi no ar. Ele sentiria cada partícula do ar sendo cortado. Aquela seria sem dúvidas a arma mais poderosa que Takeda já teria tocado... E com certeza, à mais bela.


Ganhos: Senbonzakura Kageyoshi. Uma odachi de lâmina e cabo negro, sua guarda é da cor branca. A lâmina possui um metal fino em seu centro, se estendendo a ponta da lâmina até o cabo; o metal possui variações de cores, para vermelho e azul; no metal vermelho/azul, tem uma inscrição negra, dizendo, "Na noite mais clara". Seu nível é 100 - distribuindo 60% para Ataque e Defesa -. Encantada com Afiamento Mágico, de nível 50 - distribuindo 50% para Ataque-. A odachi possui os seguintes efeitos: Receberá um aumente em Ataque e Agilidade contra ameças de importância (+5% para ameaça baixa; +10% para ameaça média; +15% para grande e +20% para ameaça colossal). Contra criaturas sombrias também irá receber 20% em Ataque e Agilidade.

_________________
Muitos que vivem merecem a morte. E alguns que morrem merecem viver. Você pode dar-lhes a vida? Então não seja tão ávido para julgar e condenar alguém a morte. Pois mesmo os muitos sábios não conseguem ver os dois lados.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 
Fênix Escarlate
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [FP] William Billy Kaplan (Wiccano).
» Fase de Grupos - 2ª Rodada

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Reinos de Guilenor :: Saga 1 - Guilenor :: Interpretações-
Ir para: